Incentivos podem ajudar a fixar médicos em zonas carenciadas do país

Incentivos podem ajudar a fixar médicos em zonas carenciadas do país

O Ministério da Saúde aprovou medidas de incentivo para médicos em regime de mobilidade parcial e para os que fixem em zonas carenciadas do país. A TSF foi saber se os incentivos previstos pelo Governo entusiasmam os médicos recém-formados.

Tânia Gago e Luís Castelo Branco terminaram o curso de Medicina na Universidade do Algarve. Ambos optaram por ficar na região.

Tânia, que se encontra no primeiro ano do internato de gastroenterologia, salienta que dos 29 alunos que terminaram o curso, 6 ou 7 emigraram e metade ficou no Algarve, uma região considerada periférica. Os médicos que optem por desenvolver aqui a sua profissão, terão os benefícios previstos.

Luís, no internato de oncologia, considera que há, no entanto, vários fatores que levam um médico a ponderar ter uma carreira profissional neste ou naquele sítio, entre eles a formação que podem obter no hospital onde trabalham.

No entanto, salienta que se os incentivos forem aplicados, provavelmente outros colegas seus em início de carreira até não se importariam de se instalar ano Algarve ou em zonas do Interior de Portugal.

Notícia publicada in TSF  a 10/03/2015 >> aqui