Testemunhos

Após um primeiro ciclo em ciências biomédicas as saídas são várias, como se pode ver pelo percurso dos diplomados em ciências biomédicas da Universidade do Algarve. Possibilidades como o ensino, a investigação e a formação académica em outras áreas da saúde e medicina, são alguns dos caminhos escolhidos por aqueles que fizeram a sua formação neste curso e que aqui partilham o seu testemunho.


Júlio César

Hoje em dia a diversidade de cursos existentes no ensino superior dificulta as escolhas dos candidatos. Quando chegou a minha vez de tomar a importante decisão sabia que queria optar pela área da saúde, apenas sabendo que não era medicina o meu sonho. Escolhi a Licenciatura em Ciências Biomédicas na Universidade do Algarve pela sua oferta formativa. Ao longo dos três anos obtive conhecimentos nas diferentes áreas da saúde, assim como desenvolvi competências sólidas e domínio técnico laboratorial. Contrariamente a outros cursos onde a aprendizagem tem como base a memorização, Ciências Biomédicas ensinou-me a compreender,  relacionar conceitos e a conhecer cada sistema orgânico desde o corpo humano como um todo à molécula. No final, a Monografia, atual Projeto, foi determinante na obtenção de prática laboratorial, interpretação de problemas e proposta de soluções em investigação e despertou ainda mais o interesse pela vertente farmacêutica, fascínio que descobri ao longo do meu percurso. Atualmente frequento o Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas na Universidade da Beira Interior . Apesar de ter escolhido este novo rumo sinto que não poderia ter sido de outra forma e recomendo a Licenciatura em Ciências Biomédicas na UAlg onde sinto que me tornei um  graduado bastante completo (2015). A todos os futuros e atuais estudantes desejo muito sucesso e as maiores felicidades.

 

Vítor Hugo Gonçalves 

"A licenciatura em CBM permitiu me entrar no mundo da ciência, conhecer a realidade da ciência e fazer ciência.Tive oportunidade  de conhecer investigadores/áreas de investigação com diferentes abordagens e formas de trabalhar, o que me  enriqueceu a nível profissional e pessoal. Principalmente, destaco a componente de Biologia Molecular transmitida ao longo da licenciatura, como preponderante para a minha actividade profissional nos dias de hoje." Atualmente trabalha na empresa de biotecnologia GRISP Research Solutions.

 

Sara Sá Matos 

"O meu nome é Sara Sá Matos e fui aluna da Licenciatura em Ciências Biomédicas da Universidade do Algarve entre 2007 e 2011. Durante o meu percurso pela Licenciatura sempre me senti apoiada por todos os professores e auxiliares e igualmente integrada em todo o contexto académico. Para além da licenciatura realizei o curso da Felasa em Experimentação animal, categoria B, realizado pelo CBME. Senti desde logo um enorme interesse e entusiasmo pela investigação em saúde, mais especificamente pelos processos molecular por detrás das doenças, razão que me levou a envergar pelo Mestrado em Biologia Molecular em Saúde. Na época estava na moda uma série televisiva de investigação criminal, CSI- Crime Scene Investigation, que eu adorava ver e que despertou o interesse pela área da Biologia e genética Forense. Felizmente surgiu-me a oportunidade de realizar a minha tese de mestrado no laboratório de Biologia e Genética Forense do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses. Quando ainda estava na fase de escrita da tese de mestrado fui seleccionada para técnica de investigação, para substituição de uma licença de maternidade, na Fish Facility do Instituto de Medicina Molecular, posso afirmar que o prestígio da Universidade do Algarve em conjunto com a curso de experimentação animal, foram os motivos que me fizeram ser aceite na posição. Passados os 6 meses da licença de maternidade a bolsa terminou e aí voltei a concorrer, desta vez para uma posição de Lab Manager do laboratório de Regulação linfocitária, chefiada pelo Professor Doutor Luís Graça, onde permaneci por 2 anos e 6 meses. Durante o tempo como Lab Manager desenvolvi actividades de organização, comunicação e gestão, que despertaram interesse pela área, foi aí que pensei em adquirir conhecimentos novos, mas não querendo sair totalmente da área de saúde, decidi realizar uma pós-graduação em Marketing Farmacêutico e Desenvolvimento de Negócio. Foi uma experiência bastante reveladora e interessante que me deu perspetivas de uma área que até à data não me era familiar. Atualmente estou a trabalhar como estagiária de Marketing na Novo Nordisk, uma empresa farmacêutica, e esta experiência tem sido espectacular, cheia de novidades e tarefas extremamente interessantes. Toda a minha formação contribuiu para que, de determinada forma, tenha tido sempre sucesso ao longo da minha carreira. E como diz o ditado: “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”, neste momento o Marketing é o que me deixa feliz e realizada."

 

Joana Canudo

"Terminei a minha licenciatura de Ciências Biomédicas em 2011 e só em 2013 entrei para um projeto na UAlg, como bolseira de investigação, que relacionava a Eletrónica com Redes Neuronais. Como tudo acaba por ter um fim, em 2015 abandonei o projeto e mudei de cidade para tentar trabalhar na indústria farmacêutica. Consegui, e atualmente sou representante de dispositivos médicos, em vários hospitais do país representando a área da Gastrenterelogia e a área de tratamento de feridas, em que parte do conhecimento adquiri ao longo do curso de Ciências Biomédicas."

 

Ana Cachucho 

"Ingressei na Licenciatura de Ciências Biomédicas da Universidade do Algarve em 2011. A decisão que temos de tomar aos 18 anos de selecionar um curso para continuarmos o nosso percurso académico com vista ao sucesso no futuro profissional nem sempre é fácil. Quando escolhi este curso, sabia apenas que não queria ser médica, mas que queria ajudar as pessoas de alguma forma, tentando encontrar uma forma de combater doenças e ao mesmo tempo melhorar a sua qualidade de vida. Ao selecionar esta licenciatura sabia apenas que ia de encontro ao meu fascínio pela Biologia, Medicina e Investigação científica. Em 2014, com a elaboração do meu projeto de licenciatura tive a oportunidade de trabalhar diretamente na área da investigação e aprender a trabalhar e organizar o meu trabalho no laboratório, de forma independente, mas sempre orientada, de excelente forma. Ao longo da licenciatura fui tendo contacto com diferentes áreas de investigação que poderia ter como opção no futuro e acabei por ficar fascinada pelo desenvolvimento de novos fármacos. Visto isto, após a conclusão da minha licenciatura ingressei na Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa. Para realizar a minha tese de mestrado, onde tive de procurar um local que fosse de encontro aos meus gostos e me ajudasse a melhorar as minhas aptidões científicas. Acabei por escolher fazer a minha tese de mestrado no âmbito empresarial. Neste contexto, os conhecimentos e a experiência prática que tinha obtido na minha licenciatura foram bastante importantes, quer para ter conseguido a oportunidade de poder escolher o local onde queria realizar a minha tese, quer por ter concluído a minha tese com sucesso. A minha formação base, assim como as pessoas que fazem parte da estrutura do curso foram muito importantes para me orientar na continuação do meu percurso académico, assim como agora, para ingressar para ingressar no mundo do trabalho. Para os futuros biomédicos, boa sorte e muito sucesso!" 

 

Madalena Pavão 

"Escolher um curso para frequentar nem sempre é fácil, mas ano após ano fui ficando cada vez mais certa de que a licenciatura de Ciências Biomédicas na UAlg foi a escolha certa para mim. Sempre gostei da área da saúde e com este curso pude explorar vários campos diferentes dentro desta área: desde a molécula, ao funcionamento da célula, da microbiologia, à anatomia e fisiologia do corpo humano. Pude aprender imenso com os professores, investigadores e médicos que lecionam as disciplinas que tornam este curso tão completo. Como acaba por ser um curso tão multidisciplinar na área da saúde, permite uma grande variedade de opções para seguir em mestrado. No meu caso, segui para a área da bioinformática, em grande crescimento, onde tudo o que aprendi na licenciatura me é útil e pode ser olhado de uma nova perspetiva, conjugando a nova área da informática com uma excelente preparação de base na área das ciências biomédicas conseguida na licenciatura em Ciências Biomédicas na Universidade do Algarve. Sinto que estou pronta para os grandes projetos de investigação na área da saúde."

 

João Antunes 

 "Ingressei na Licenciatura em Ciências Biomédicas no ano 2013/2014. Desde então fiquei fascinado com tudo o que se relaciona com corpo humano e os demais processos que ocorrem no nosso organismo, até à escala molecular e genética, ficando também a conhecer a grande diversidade das áreas de investigação. Por outro lado, tanto os meus colegas mais próximos como os professores, motivaram-me a querer investir e aprofundar saberes na área da componente prática, razões que me levaram a participar em voluntariados nos Laboratórios da Universidade. Desta forma, foi-me permitido aprender as múltiplas técnicas laboratoriais e adquirir uma grande experiência, fatores que me proporcionaram um maior conforto e segurança na realização da Monografia no 3º ano. O trabalho de equipa que desenvolvi e a proximidade tanto dos professores como da direção do curso, auxiliaram-me na seleção da preferência para a progressão ao seguinte ciclo de estudos: o Mestrado em Neurociências da Universidade de Lisboa, onde me encontro a frequentar o 1º ano. Até à data, posso confirmar firmemente que a Licenciatura me proporcionou uma multiplicidade de bases sólidas de aprendizagem e conhecimento, que têm provado ser essenciais na minha formação atual e serão, sem dúvida, absolutamente fundamentais para o meu futuro profissional". Atualmente é aluno do Mestrado em Neurociências da Universidade de Lisboa.

 

Daniela Carvalho:

"Entrei no curso de Ciências Biomédicas em 2011 e terminei em 2014. Durante estes três anos aprendi imenso e trabalhei imenso, e quero destacar a proximidade com investigadores de excelência que nos ajuda a crescer tanto profissionalmente como pessoalmente. Para além de um curso e colegas de trabalho, adquirimos uma família formada por colegas de turma, professores e investigadores dos laboratórios da Universidade que, em qualquer situação, se encontram disponíveis para nos guiar e ajudar, durante e após a licenciatura. Ao participar em estágios curriculares e voluntariados nos laboratórios da Universidade consegui ver, na primeira pessoa, o ambiente familiar e confortável, bem como o excelente trabalho que se verificam nesta instituição.  Esta licenciatura está organizada de modo a que o contacto que temos com diversas áreas e conteúdos permite-nos perceber o que mais nos suscita interesse. No meu caso, duas áreas me fascinaram bastante pela sua diversidade de matéria e metodologia: imunologia e epidemiologia. Assim, terminando a licenciatura, parti para Paris, para realizar um mestrado de Inflamação e doenças inflamatórias na Université de Diderot – Paris 7. Terminado o mestrado regressei a Portugal, onde estou de momento, num programa de Doutoramento em Saúde Pública e Epidemiologia na Escola Nacional de Saúde Pública, cuja tese é sobre doenças alérgicas dermatológicas. Os três anos que passei na Universidade do Algarve, permitiram-me conhecer as pessoas certas (docentes) que me ajudaram e encaminhar de acordo com os meus interesses. Durante a minha licenciatura o meu espírito crítico e o meu modo de raciocínio foram desenvolvidos de modo a conseguir adaptar-me ao trabalho em investigação. Desejo agora o maior sucesso aos futuros alunos e aconselho-os a tirar o máximo proveito das aulas práticas e teóricas, de todo o conhecimento que pessoas especializadas vos podem transmitir. Participando em estágios curriculares também facilita a descoberta da área que mais vos fascina e cativa, para poderem apostar nela." Atualmente é aluna de doutoramento em " Public Health and Epidemiology at New University of Lisbon, National School of Public Health".

 

Dina Rochate

"Com a Licenciatura e o Mestrado em Ciências Biomédicas pude aprofundar os meus conhecimentos na área da Biomedicina pela diversidade de áreas da investigação que me foram dadas a conhecer. Tive a oportunidade de contactar com investigadores de excelência em diferentes áreas, aprender com a sua experiência e debater os seus trabalhos de investigação. A passagem pela licenciatura e mestrado em ciências biomédicas da Universidade do Algarve foi um enriquecimento a nível académico e pessoal e torna-se assim um pilar na construção do meu futuro profissional. Espero um dia ter a possibilidade de integrar uma actividade profissional que junte a prática da medicina com a investigação científica."

 

Íris Silva

"Penso que tanto a Licenciatura como o Mestrado me ajudaram a ter acesso a várias áreas, o que me ajudou e aos meus colegas a perceber melhor aquilo que realmente gostávamos de seguir. Agora no doutoramento percebo o valor  dessa multidisciplinaridade, que facilitou a adaptação a várias situações, tanto aqui como na Universidade no Quebec onde estou a fazer parte do meu trabalho. Após ter tido contacto com disciplinas como Terapia Génica, Genética Humana e Molecular, Biologia do Desenvolvimento Embrionário ou até Bioinformática, foquei-me em Genética Molecular na minha tese de Mestrado, com o objectivo de aprender várias técnicas laboratoriais. No doutoramento decidi focar-me em Genética Humana que sempre tinha sido o meu objectivo. Assim o fiz e agora trabalho em colaboração com o Centro Hospitalar da Universidade de Laval, no Quebec, Canadá, no estudo da contribuição genética para a doença óssea de Paget."

 

Cláudia Fitas

"Terminei a licenciatura em Ciências biomédicas no ano de 2010. Ingressei de seguida no Mestrado em Medicina Legal e Ciências Forenses na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa/Instituto Nacional de Medicina Legal onde não cheguei a concluir o primeiro ano pois entretanto fui admitida no curso de Medicina na Universidade de Szeged - Hungria. Frequento neste momento o 4º ano do referido curso uma vez que a licenciatura em Ciências Biomédicas me deu equivalência ao 1º ano."

 

João Baptista:

"Fiz três anos de Licenciatura Ciências Biomédicas. Em seguida segui para o Mestrado em Ciências Biomédicas, o primeiro ano curricular e o segundo no laboratório de Biologia de Desenvolvimento Embrionário com o Prof.José Belo também na Ualg. No ano seguinte candidatei-me e ingressei no curso de Medicina na Hungria, onde me encontro actualmente a estudar no 4º ano. O conselho que posso deixar é que estudem, tentem terminar a licenciatura com a melhor média possível, e tentem ganhar experiência de laboratório desde o início do curso para vos ajudar a perceber se esta é realmente a área que pretendem trabalhar o resto do vosso percurso profissional."

 

David Brito:

"A Licenciatura em Ciências Biomédicas permitiu-me adquirir conhecimentos sólidos essenciais para prosseguir para um 2º Ciclo de estudos com sucesso, possibilitando que competisse com outras áreas das Ciências da Saúde. Durante o meu percurso tive oportunidade de acompanhar de perto o funcionamento desta Licenciatura, tanto como aluno, como enquanto membro do Núcleo de Estudantes de Ciências Biomédicas e como representante da Licenciatura na Comissão Pedagógica. Verifiquei pessoalmente o nível de excelência da investigação realizada pelo Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina ao participar em estágios extracurriculares nesta Universidade e ao realizar a minha monografia no Instituto de Medicina Molecular em Lisboa, tendo base de comparação. O plano curricular destaca-se tanto a nível pedagógico como científico, aliado a uma Direção de Curso firme e com um elevado grau de competência e a um toque familiar. A Coordenação de Curso encontra-se disposta a resolver todos os problemas relevantes dos alunos ao longo deste percurso e a contribuir para o sucesso profissional após a conclusão da Licenciatura. Aos futuros Biomédicos recomendo que tirem partido da Licenciatura desde o primeiro dia de aulas, que pensem nos vossos projetos atempadamente, nomeadamente na monografia final. Que tentem descobrir ao longo dos 3 anos qual a vertente da Biomedicina que vos cativa mais para apostarem nela desde cedo. Aconselho ainda a participarem em projetos extracurriculares, a não terem medo de arriscar e conhecerem tanto os vossos direitos como os deveres enquanto estudantes da Universidade do Algarve."

 

Pedro Dinis Avelar

"Entrei para a Universidade do Algarve em 2009 para a realização da Licenciatura em Ciências Biomédicas, com término no ano de 2012. Após este período, ingressei no Mestrado em Neurociências na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Ao longo da minha carreira académica pude comprovar que a Licenciatura em CBM está dotada de um excelente conselho científico/pedagógico, referido a nível interno bem como a nível internacional, aliado a um plano curricular muito completo e desenvolvido. Estes aspectos foram visíveis no decorrer do 2º ciclo de estudos, no qual pude comprovar que possuía as bases de conhecimento essenciais para a sua realização. Posso garantir que as dificuldades na área das Neurociências foram poucas, dado o profundo “background” que me foi transmitido e completude do plano curricular. Aos futuros licenciados gostaria de deixar votos de muito sucesso nesta nova etapa das suas vidas e que desfrutem ao máximo desta licenciatura. Consolidem da melhor forma todo o conhecimento que vos for transmitido, e tentem sempre ir mais longe, aprender mais. Tentem desde cedo identificar-se com a área de estudos do vosso maior interesse. Este passo vai ser essencial no vosso futuro. Nos próximos 3 anos, têm ao vosso dispor o departamento de CBM, dotado de óptimos profissionais, que vos acompanharão desde cedo e ajudar-vos-ão sempre, agora e no futuro. Felicidades aos futuros biomédicos"


SARA ISABEL MARQUES MOTA SOARES

 

"Entrei para CBM no primeiro ano de funcionamento do curso o que significava toda uma experiência nova para professores e alunos, e olhando para trás vejo que fomos uns privilegiados e são muitas as excelentes recordações desses 3 anos.

A diversidade e abrangência científica oferecida pelo plano curricular, e as diferentes experiências e backgrounds do corpo docente foram fundamentais para a obtenção de bases científicas e académicas tão importantes para a definição do meu percurso posterior.

Após a conclusão da licenciatura fiz uma pós-graduação em Ciências Médico Legais no ICBAS e frequentei o mestrado em Biomedicina Farmacêutica na Universidade de Aveiro, que terminei em 2013. Desde que deixei a Universidade do Algarve participei em vários projetos de investigação em Epidemiologia e Saúde Pública na Universidade de Aveiro e no Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto.

A multidisciplinariedade e transversalidade da minha formação na licenciatura permitiu-me definir o meu caminho futuro, ao mesmo tempo que me forneceu bases importantes e ferramentas essenciais para o meu trabalho nos diversos projectos investigação, para o sucesso da conclusão do mestrado, e agora para o doutoramento em Saúde Pública."