Pierre Holtz UNICEF (CC BY-SA 2.0)

Ação Humanitária

Pós-Graduação
Noturno
Idioma de Lecionação
Português
Unidade Orgânica
Faculdade de Medicina e Ciências Biomédicas
Área Temática
Ciências e Tecnologias da Saúde
 

Formadores

Aua Baldé

Aua Baldé

É membro do Grupo de Trabalho de Desaparecimentos Forçados ou Involuntários da ONU (https://www.ohchr.org/EN/Issues/Disappearances/Pages/Members.aspx). É mestre pela Harvard Law School com especialização em Direito Internacional dos Direitos Humanos e doutoranda na Universidade Católica Portuguesa na área de Direito Penal Internacional, onde também leciona como International Humanitarian Law e International Criminal Law. Tem sido palestrante convidada em várias universidades em Portugal, Brasil, Inglaterra, Itália e São Tomé e Príncipe. É advogada inscrita na Ordem dos Advogados da Guiné-Bissau e de Portugal. Trabalhou para as Nações Unidas na Guiné-Bissau, Costa de Marfim e República Centro-Africana.

Tem vários artigos publicados em inglês e em português, e é autora do livro O Sistema Africano de Direitos Humanos e a Experiência dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, (UCP/2017, Prefácio: Prof. Doutor Jorge Miranda: https://www.uceditora.ucp.pt/pt/investigacao/2279-o-sistema-africano-de-direitos-humanos.html).

Recebeu inúmeras distinções, nomeadamente: o Hague Academy of International Law fellowship, o International Criminal Court professional visiting fellowship, o Governance for Development in Africa Initiative fellowship at the School of Oriental and African Studies (Mo Ibrahim Foundation), o Archbishop Tutu Leadership Fellowship, o Kings College Transnational Law Summer Institute Fellowship and Harvard Institute for Global Law and Policy Fellowship, o Starr Foundation Scholarship and Harvard Human Rights Henigson Fellowship

 

Maria João Carapêto

Maria João Carapêto

É doutoranda da Nova School of Law e licenciada em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa e Mestre em Direito e Segurança pela Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa, com a dissertação intitulada “A avaliação do sentimento de justiça dos sobreviventes: que perspetivas para a justiça penal internacional?”.

Conduz a sua investigação na área da Cooperação para o Desenvolvimento e do Direito Internacional, com especial enfoque para os países africanos de língua portuguesa.

 

Marcello dell´Aringa 

Marcello dell´Aringa 

É médico, formado pela Universidade de São Paulo, Brasil em 2008. Especializou-se em Medicina Intensiva e trabalhou como médico intensivista na UTI de Trauma do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (2014 - 2017).

É graduado pelo Mestrado Europeu em Medicina de Catástrofe, pela Università del Piemonte Orientale, em Novara.

Atualmente é doutorando em Saúde Global, no programa conjunto do CRIMEDIM (University of Eastern Piedmont) e da Free University de Bruxelas, onde estuda a utilização de serviços de saúde após desastres.

Desde abril de 2020, ele também tem trabalhado na resposta às pandemias COVID-19 como médico intensivo no Hospital Ss. Trinità em Borgomanero, Itália.

 

Susana Gonçalves

Susana Gonçalves 

É licenciada em Gestão com uma pós-graduação em Intervenção Humanitária, com mais de 17 anos de experiência no setor social e com particular incidência na coordenação de projetos. Nos últimos anos tem-se dedicado à área da sustentabilidade e angariação de fundos na ONG Médicos do Mundo.

É cofundadora e membro de diversas associações, e integra, desde 2018, pela Médicos do Mundo, o Grupo de Trabalho de Ética da Plataforma Portuguesa das ONGD, no âmbito do qual participa na criação de um Código de Conduta das ONGD.

 

Ron Waldman

Ron Waldman

MD, MPH é Professor Emérito de Saúde Global na Escola de Saúde Pública do Milken Institute da George Washington University em Washington, DC.

Começou a carreira como voluntário no Programa Global de Erradicação da Varíola da Organização Mundial da Saúde. Tendo ingressado no Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, em 1979 e foi destacado para a República Democrática da Somália para ajudar a estabelecer a Unidade de Saúde para Refugiados daquele país.

Essa experiência levou a estudos sobre epidemiologia da saúde em grandes populações de refugiados e a um interesse de longa data no estudo e promoção de intervenções humanitárias de saúde pública em populações afetadas por emergências.

Uma série de publicações analisando tendências e resultados em saúde e nutrição ajudou a introduzir a ciência da saúde pública no campo da ajuda humanitária e muitas das descobertas tornaram-se elementos de padrão.

Trabalhou em muitas emergências resultantes de catástrofes naturais e em ambientes de conflito, de 1979 até ao presente. Coordenou a resposta de socorro ao setor de saúde pós-terremoto do governo dos Estados Unidos no Haiti em 2010 e foi conselheiro sénior da ONU durante as cheias no Paquistão, naquele ano. Fora de emergências, atuou como Coordenador da Task-Force da Cólera na OMS e tem se concentrado na preparação para pandemias desde 2007. Ele é Presidente e Presidente do Conselho de Diretores dos Médicos do Mundo - EUA.

 

Jorge Varanda 

Jorge Varanda 

É Professor Auxiliar de Antropologia do Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra e membro da Direcção do Centro de Investigação em Antropologia (CRIA), responsável pela secção de Coimbra (CRIA-UC).

 A sua investigação e pedagogia centram-se na saúde global, one health e epidemiologia, bem como bioética, crises e ajuda humanitária, urbanização e alterações climáticas com foco nos países de língua oficial portuguesa. 

Ao longo dos anos criou e ministrou diversos cursos (licenciatura, mestrado e Doutoramento) ligados à Antropologia Médica e Saúde Global no Instituto de Higiene e Medicina Tropical de Lisboa, Brown University-USA, Universidade de Coimbra, sendo coordenador do novo mestrado de Antropologia Globalização e Alterações Climáticas também em Coimbra.

As suas investigações são interdisciplinares fomentando diálogos epistemológicos em pé de igualdade entre ciências sociais e biomédicas e biológicas, uma ideia que transporta para a sala de aula.

As investigações e publicações centraram-se nos cuidados biomédicos e nas questões de saúde na África de língua portuguesa e em Portugal. Ele foi PI de projetos sobre programas de saúde pública contra a tripanossomíase humana africana (doença do sono) em Angola-1900-2010s; PI Nacional de um projeto internacional com financiamento norte-americano sobre a emergência e HIVs, com foco nos subtipos do HIV-2 na Guiné-Bissau bem como de um subtipo do HIV-1 M em Angola.

Teve ainda projetos sobre serviço de inteligência da empresa de diamantes colonial - companhia de diamantes de Angola - Diamang e integrou um projeto de partilha de dados em situações de Emergência de Saúde Pública - Ebola e Febre Amarela, focando na epidemia de 2016 de febre amarela em Angola. Iniciava estudo sobre sobre malária, urbanização e mudanças climáticas em Angola e Guiné-Bissau, quando o COVID-19 apareceu.

O seu trabalho em contextos não académicos inclui a implementação do sistema de Autópsia Verbal no Centro de Investigação em Saúde de Angola (CISA), além de investigação para Médicos do Mundo.

 

Sylvie Roberts 

Sylvie Robert

Tem mais de 25 anos de experiência no setor de desenvolvimento humanitário e continua empenhada em melhorar a qualidade da resposta humanitária e fazer cumprir a Prestação de Contas às Populações Afetadas (AAP) e a Prevenção / Proteção e Resposta à Exploração e Abuso Sexual (PSEA).

Sylvie é uma facilitadora experiente e líder de equipa, orientada para a tarefa e resolução de problemas. Ela gosta particularmente de trabalhar com e em redes que desenvolvem estratégias para melhorar as respostas coletivas de desenvolvimento humanitário em todo o mundo.

 

Ana Pinto de Oliveira

Ana Pinto de Oliveira

É coordenadora do Grupo de Investigação e Medicina de Catástrofe e Ação Humanitária da Faculdade de Medicina e Ciências Biomédicas da Universidade do Algarve. Atualmente é ponto focal do SPHERE em África e América do Sul, pelo Centre for Humanitarian Analytics. Foi diretora de Ação Humanitária na Organização Governamental Médicos do Mundo.

Com Mestrado Integrado em Medicina, pela Faculdade de Medicina e Ciências Biomédicas da Universidade do Algarve (2015) é médica interna da Formação Específica em Saúde Pública no ACES do Arco Ribeirinho; é Licenciada em Biologia (2000), pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, concluiu o Mestrado em Microbiologia (2004) na Universidade de Aveiro, doutoranda em Saúde Internacional, no Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa é graduada em  Missões Humanitárias, Catástrofes e Conflitos (2020) e em Ciências Biomédicas (2001).

É responsável pelo Grupo de Investigação em Medicina de Catástrofe e Saúde Pública da FMCB da UAlg coordenando o Ciclo de Seminários de Competência Cultural Médica e a Pós-graduação em Ação Humanitária.

Mais de 90 trabalhos publicados e apresentados em reuniões científicas nacionais e internacionais e orientação científica de diversos estágios e mestrados.

 

Foto

Filipa Barros

É médica de Medicina Interna, com subespecialidade de Medicina Intensiva

 

Catarina Oliveira

Catarina Oliveira

É Médica de Saúde Pública [Mestrado Integrado em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (2004-2010); Formação específica em Saúde Pública (2012-2016)], Diretora do Departamento de Projetos Nacionais da Médicos do Mundo desde 2020. Doutoranda no Curso de Doutoramento em Saúde Internacional, Instituto de Medicina e Higiene Tropical. Integra projetos de Ação Humanitária da Médicos do Mundo.

Colaboradora do Grupo de Investigação em Medicina da Catástrofe e Saúde Pública da Faculdade de Medicina e Ciências Biomédicas da Universidade do Algarve.

Formadora e tutora de PBL, na Pós-graduação de Ação Humanitária da FMCB UAlg.

 

Ana Filipa Neves 

Ana Filipa Neves 

Tem o seu percurso profissional desenvolvido nas áreas de formação em saúde, patologia e intervenção clínica em emergência. Investigação clínica na área das neurociências e desenho metodológico para ensaios clínicos, destacando-se bolsa de mérito atribuída pela Faculdade de Medicina de Coimbra. Formadora no IEFP, de Suporte Básico de Vida.

Iniciou voluntariado com missões no Brasil na área de emergência e traumatologia e Cabo Verde em saúde comunitária. Voluntária da Cruz Vermelha Portuguesa, desde 2008 e da Médicos do Mundo, desde 2019, onde integra projetos e missões internacionais, nomeadamente em Moçambique.

Atualmente, interna de formação específica em Urologia e colaboradora do Grupo de Investigação em Medicina da Catástrofe e Saúde Pública da Faculdade de Medicina e Ciências Biomédicas da Universidade do Algarve.

Formadora e tutora de PBL, na Pós-graduação de Ação Humanitária da FMCB UAlg.

 

Marta Rodrigues

Marta Rodrigues 

É Médica Anestesiologista [Mestrado Integrado em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (2005-2011); Formação específica em Anestesiologia (2013-2018)], com Pós-graduação em Direitos Humanos, pelo Ius Gentium Conimbrigae, Centro de Direitos Humanos, Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

Colaboradora da Médicos Sem Fronteiras já participou em missões no Afeganistão e Camarões.

 

Jesus Gonzalez

Jesus Gonzalez

É Enfermeiro de Terapia Intensiva, no Hospital Público de Saúde da Andaluzia, Mestre em Medicina Humanitária e especialista em Água e Saneamento em contextos de Emergência.

Foi Vice-Presidente de Médicos do Mundo, delegação Espanha e Andaluzia e membro do Comite de Operações Internacionais.

Coordenador do Mestrado Universitário em Ação Humanitária em Saúde no módulo (assistência em epidemias, desastres naturais e conflitos); Professor em vários Mestrados de AH e Cooperação Internacional.

Tem experiência desde 1998 como cooperador e coordenador de projetos na Guatemala, Nicarágua, El Salvador, Peru, Colômbia, Haiti, Venezuela, Moçambique, Guiné Equatorial, Guiné Bissau, Etiópia, Chade, Serra Leoa, Saara, Albânia, Paquistão /Afeganistão, Sri Lanka, Palestina, Filipinas e Síria.

Autor de um capítulo do livro "Água e saneamento ambiental em projetos de emergência e cooperação para o desenvolvimento" (ISBN: 978-84-8138-774-2)

Autor de um capítulo do livro "Saúde na crise humanitária" (ISBN: 978-84-9052-059-8)

Autor do artigo "Haiti: dez anos acrescentando crise e esperando o cumprimento de promessas" publicado na Revista de Pesquisa e Educação em Ciências da Saúde (RIECS) da Faculdade de Medicina e Ciências da Saúde da Universidade de Alcalá (Volume 5, Suplemento de 1 de fevereiro de 2020) https://riecs.es/index.php/riecs/article/view/177

 

Carla Ganhão

Carla Ganhão

É nutricionista formada pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e com Pós-graduação em Saúde e Desenvolvimento pelo Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa. Especialista em nutrição e saúde pública, com especial interesse e especialização em políticas e estratégias de segurança alimentar e nutricional, conceção, desenvolvimento e gestão de projetos e programas de segurança alimentar e nutricional, incluindo análise, investigação, monitorização e avaliação.

Com mais de 10 anos de experiência em África, ocupou cargos como Coordenadora de Programas e Projetos para o Governo de Moçambique, Conselheira para o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Dinamarca e consultora para um projeto do Banco Mundial. Participou como Oficial Técnica Superior para a Revisão Intercalar do Plano Multisetorial de Redução da Subnutrição Crónica em Moçambique.

Desde 2019 exerce as suas funções na área de Emergência em Nutrição, tendo trabalhado como Coordenadora de Nutrição em Emergência e VIH, durante e após o Ciclone IDAI (Sofala, Moçambique) e atualmente coordena um projeto de emergência como resposta à COVID-19 na Província de Luanda, em Angola.

 

Susana Damasceno 

Susana Damasceno 

É Gestora, Professora, Educadora, Formadora, Empreendedora e Sonhadora.

É Fundadora e Presidente da Direção da AIDGLOBAL – Ação e Integração para o Desenvolvimento Global, Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD), sem fins lucrativos.

De 1996 até 2006 trabalhou como docente do Ensino Básico 2º ciclo até que em 2005 fundou a AIDGLOBAL. Licenciada em Língua e Cultura Portuguesa pela Faculdade de Letras de Lisboa, tem uma Pós-graduação no Ensino do Português como Língua Não Materna e um Curso de Especialização em Cooperação para o Desenvolvimento pelo Instituto Nacional de Administração. Conta mais de 15 anos de experiência na gestão de projetos de Cooperação para o Desenvolvimento, nomeadamente em Moçambique, e em iniciativas de Educação para a Cidadania Global, tem acumulado administração da Organização e captação de fundos. É autora de artigos generalistas e coautora de recursos pedagógicos.

 

Pedro Monjardino 

Pedro Monjardino 

É formado em Direito, com 22 anos de experiência em gestão de empresas de logística e preparação de projetos de grande dimensão. Atualmente é o Diretor Geral da empresa de consultoria logística Strategio Consulting.

Em 2003, foi responsável pelo estudo e organização (estrutura orgânica e operações portuárias) do porto de Nacala, Moçambique. De 2004 a 2008, foi o responsável em Moçambique pela implementação do PEPFAR AIDS, do Governo Norte Americano O projeto AIDS, tendo sido, no mesmo período Conselheiro do representante do Governo dos Estados Unidos da América em Moçambique para a implantação do programa PEPFAR AIDS. De 2004 a 2009, foi o responsável pela conceptualização e implementação do modelo logístico e aduaneiro para o projeto de gás natural da Sasol em Temane, Província de Inhambane, Moçambique.

Foi Coordenador logístico da OPERAÇÃO EMBONDEIRO de apoio ao ciclone IDAI 2019 em Moçambique, pela Cruz Vermelha Portuguesa e a Médicos do Mundo Portugal. Coordenador do Programa de Vacinação da COVID-19, Governo do Arquipélago dos Açores, entre maio e setembro 2021. Atualmente é Coordenador de país (Moçambique) da Médicos do Mundo Portugal e voluntário da CASA (Cascais) e Todos por Moçambique (apoio aos deslocados internos na província de Cabo Delgado).

 

Filipa Mateus

Frederica Mateus 

É formada em Relações Internacionais, especializada em negócio de gestão de marcas e de gestão da área do negócio hospitalar.

Desenvolve desde 2011 a sua atividade como Gestora Executiva na área da saúde.

Fundadora da sociedade GF Pharma, distribuidora de medicamentos e dispositivos médicos e consultora para Organizações Não Governamentais para projetos de Emergência.

Desde sempre envolvida em projetos de ação humanitária na área da saúde, com destaque especial para a função de coordenador de produtos de saúde para a OPERAÇÃO EMBONDEIRO, apoio ao Ciclone Idai 2019, pela Cruz Vermelha Portuguesa – Médicos do Mundo em 2019 e o Combate ao Covid pela Médicos do Mundo, delegação Portuguesa.

 

Dora Rebelo

Dora Rebelo 

É psicóloga desde 2000, pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa e especializada em Terapia Familiar Sistémica pela Associação de Terapia Familiar e Comunitária (Pós-Graduação de 2005-2007) e pela Escola de Terapia Familiar do Hospital San Pau (Mestrado de 2007 a 2009 na Universidade Autónoma de Barcelona). Fez estágio clínico no Centro Roberto Clemente em Nova Iorque, de 2009 a 2010. Desde então tem trabalhado em projetos de saúde mental humanitários, com pessoas em situação de mobilidade forçada, migrantes e minorias étnicas. Desde 2010 já colaborou com a AMI, Médicos Sem Fronteiras, Médicos do Mundo, The Center for Victims of Torture, War Trauma Foundation, Heartland Alliance International, Humanité & Inclusión, OIM e Konterra Group.

É consultora em SMAPS (Saude mental e Apoio Psicossocial), colaborando com uma rede internacional de profissionais de saúde mental do setor humanitário, seguindo as recomendações e manuais criados pelo IASC (Interagency Standing Committee) e pelo sistema humanitário de clusters. Tem, ainda uma certificação da Universidade de Harvard, desde 2014, pela conclusão do “Harvard Program on Refugee Trauma”.

Desde 2017, é doutoranda em Antropologia no ISCTE-IUL e investigadora associada ao CRIA (Centro em Rede e Investigação em Antropologia). O seu trabalho de investigação centra-se em iniciativas de solidariedade informal com pessoas em situação de mobilidade forçada, colaborando para o efeito com diversos coletivos de solidariedade e ativismo com migrantes e refugiados. Emprega uma abordagem multidisciplinar, feminista e decolonial.

 

Frederico Correia 

Frederico Correia 

É formado em Topografia/Desenho e Sistemas de Informações Geográficas, exercendo esta atividade no Município de Castanheira de Pera.

Integra o Gabinete Técnico Florestal e a Proteção Civil Municipal de Castanheira de Pera.

É Coordenador do Departamento de Desenvolvimento Tecnológico e de Sistemas da ONG Médicos do Mundo e integra projetos de Ação humanitária da Médicos, em Moçambique e em território Nacional.

Tem colaborado em projetos de investigação na área da Saúde Pública, no ACES do Arco Ribeirinho.

 

Ana Marreiros 

Ana Marreiros 

É licenciada e tem mestrado em Estatística e Investigação Operacional e é doutorada em Métodos Quantitativos Aplicados à Economia e à Gestão (área de aplicação: hospitais públicos portugueses). Tem mais de cinco anos de experiência no tratamento de dados de resultados de cuidados secundários. Integrou as unidades hospitalares de “Controlo de Gestão” e “Planeamento e Estatística” e tem sido responsável pelos relatórios hospitalares periódicos sobre saídas de cuidados hospitalares e movimentos, codificação numérica de doenças de acordo com ICPC-2 e suporte de dados para execução orçamental hospitalar. Ela é membro do grupo SUNSHINE (um grupo de investigação clínica em cardiologia composto por membros portugueses), onde é responsável pelo tratamento estatístico dos dados clínicos cardíacos.

Desde 1998 é professora universitária nas áreas da matemática e estatística, e desde 2015 é professora do curso de Mestrado em Medicina da Universidade do Algarve onde tem desenvolvido investigação clínica nas áreas da reumatologia, cardiologia, neurologia e oncologia.

 

Andreia Oliveira 

Andreia Oliveira 

É profissional na área do desenvolvimento internacional e cooperação com cerca de 15 anos de experiência em implementação de programas e advocacia política, nomeadamente no âmbito da saúde global. Trabalhou em, sobre ou com a Índia, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Angola, Camarões, Quénia, Etiópia, Uganda, Tanzânia e Burkina Faso. Enquanto consultora independente tem sido responsável por diversos estudos e análises, desenho de projetos e avaliações de iniciativas. O seu conhecimento inclui áreas como inclui áreas como saúde global, saúde e direitos sexuais e reprodutivos, igualdade de género, empoderamento dos jovens e capacitação de espaço para a sociedade civil.

 

Hugo Coelho

Hugo Coelho

Trabalha atualmente na Caritas Portuguesa nas áreas da comunicação, da angariação de fundos e das campanhas nacionais. Atualmente ele é membro do Grupo de Trabalho de Fundraising da Caritas Europa.

Foi professor universitário durante 4 anos na Universidade Lusófona criando programas de extensão universitária (ACC – Atividades Curriculares em Comunidade) em conjunto com os alunos de licenciatura de Sociologia e Serviço Social.

Com experiência profissional em Responsabilidade Social Corporativa (IBM), marketing e angariação de fundos (Médicos do Mundo Portugal), comunicação e campanhas, atua há mais de 15 anos no setor social e comunitário, em especial nas áreas da saúde, da ajuda humanitária de emergência, das artes e cultura , inclusão social, educação não formal e trabalho juvenil e economia solidária. É também cofundador de várias ONG e movimentos sociais em Portugal (GivingTuesday, Mundos de Papel, etc.) e trabalhou como voluntário no Brasil e no Equador.

 

Susana Gouveia 

Susana Gouveia 

Tem Licenciatura Psicologia (Coimbra); Pós-graduação em Gestão de Empresas - Marketing (Évora); Mestrado Gestão, especialização em Recursos Humanos (Évora). Psicóloga especialista em Psicologia do Trabalho, Social e das Organizações e em Psicologia Comunitária. Perita e Formadora em Psicotraumatologia.

Supervisora da Equipa de Saúde Mental do Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS – Jesuit Refugee Service) e Supervisora da equipa de voluntários do Serviço de Escuta da Companhia de Jesus.

Docente nos cursos: Master Intervenção Psicológica em Emergência, Post Master Gestão de Catástrofes e Crises Humanitárias, e, no High Degree em Coordenação Técnica de Incidentes e Gestão de Emergência, na ISO-SEC (entidade certificada por várias organizações internacionais: UNDSS, UNHCR, Federal Emergency Management Agency, HM Government). Docente em três Pós Graduações relacionadas com intervenção psicossocial em crise, e, missões e ajuda humanitária (ISCSP; ESSCVP e INSPSIC).

Colaboradora: Cruz Vermelha Portuguesa (16 anos); Associação Médicos do Mundo Portugal (1 ano); European Anti Poverty Network – Portugal (14 meses).

Atualmente é a Coordenadora da Unidade de Acolhimento de Emergência da Cruz Vermelha Portuguesa.

 

Cláudia Conceição

Cláudia Conçeição

Professora auxiliar do Instituto de Higiene e Medicina Tropical, Universidade Nova de Lisboa (IHMT NOVA).

A sua atividade docente foi desenvolvida nos últimos 20 anos em várias instituições de ensino superior em Portugal. Destaque para o IHMT, Escola Nacional de Saúde Publica (Universidade Nova de Lisboa) e Escola de Medicina da Universidade do Minho.

Médica, especialista em medicina interna e doutorada em Saúde Internacional, Políticas de Saúde e Desenvolvimento, pela Universidade Nova de Lisboa, Instituto de Higiene e Medicina Tropical.

Oradora Convidada

Sarah Lumdson 

Sarah Lumdson 

Tem mais de 20 anos de experiência em gestão e liderança de uma série de programas humanitários e de desenvolvimento.

Sarah começou sua carreira humanitária com Médicos sem Fronteiras, seguida por 12 anos na Oxfam e agora trabalha como consultora independente. Com a Oxfam, Sarah liderou respostas humanitárias no Sudão, Indonésia, Quénia, Libéria e RDC com programas focados em WASH, meios de subsistência e proteção, com a maioria das implementações exigindo análise e gestão de contexto de segurança significativa. Com a Oxfam, Sarah também trabalhou como consultora de segurança no Afeganistão e na sede e atuou como coordenadora regional no leste, oeste e sul da África e diretora de país no Sudão. Após extensas implementações no exterior com a Oxfam, Sarah passou a gerir o pool de Gestores Humanitários da Oxfam e desenvolver e lançar programas de Gestão Humanitária e Desenvolvimento de Liderança e apoiou a criação de uma estrutura de Competências Humanitárias para uso em todo o setor. Atualmente como consultora, Sarah atuou principalmente como Conselheira Humanitária do Governo do Reino Unido e forneceu aconselhamento e orientação às respostas humanitárias do Governo do Reino Unido a conflitos e desastres naturais no Iraque, Caribe, Tanzânia e Moçambique.